logo-ge

Veja fotos coloridas do descobrimento da tumba de Tutancâmon

A maior descoberta arqueológica do século XX: é assim que costuma-se definir o achado, no Egito, da tumba mortuária de Tutancâmon – ou Rei Tut, para os íntimos. O responsável foi o egiptólogo inglês Howard Carter, financiado pelo Lorde Carnarvon. De 1922 a 1930, a equipe de Carter esteve empenhada em escavar a tumba do faraó e catalogar todos os itens encontrados por lá.

tutancamon1
Foto: The Griffith Institute, Oxford/Dynamichrome

Howard Carter havia sido contratado por Carnarvon em 1907 para chefiar sua equipe de arqueologia no Vale dos Reis, em meio às fabulosas pirâmides egípcias, e vinha por anos pesquisando a região sem encontrar nada de significativo. Em novembro de 1922, o faraó finalmente decidiu se revelar: primeiro um degrau de escada descoberto em meio às escavações, depois uma escada inteira, levando finalmente à tumba subterrânea do rei adolescente – a mais bem preservada e intacta de todo o Egito.

Abaixo do solo, a tumba fechada há mais de três mil anos proporcionava o ar agradável que você pode imaginar. As várias mortes de membros da equipe (inclusive de Lorde Carnarvon), poucos anos depois da descoberta, hoje são entendidas como causadas pela enorme proliferação de fungos e bactérias que havia no local. Mas, na época, foram atribuídas à famosa Maldição do Faraó, uma lenda que ficou mundialmente famosa após, supostamente, terem sido encontrados escritos no sarcófago que ameaçavam de morte os que ousassem perturbar o sono do faraó.

tutancamon2
Howard Carter e membros da equipe abrem a porta da tumba de Tutancâmon pela primeira vez. Foto: The Griffith Institute, Oxford/Dynamichrome 

Lendas à parte, é certo que a tumba de Tutancâmon deu o que falar por todas as décadas seguintes – até hoje, em que se especula que sua madrasta, a rainha Nefertiti, esteja sepultada em uma câmara secreta atrás do seu sarcófago. Incontestável, é a maior descoberta arqueológica do último século. Veja mais imagens disponibilizadas pelo The Griffith Institute, da Universidade Oxford, Inglaterra.

tutancamon3
Objetos pessoais do rei e itens da câmara mortuária catalogados pela equipe de Carter. Foto: The Griffith Institute, Oxford/Dynamichrome

tutancamon5
Howard Carter e Lorde Carnarvon na tumba. Foto: The Griffith Institute, Oxford/Dynamichrome

tutancamon4
Carter e um membro da equipe inspecionam o sarcófago de Tutancâmon. Foto: The Griffith Institute, Oxford/Dynamichrome

tutancamon6
Turistas observam a retirada de grandes objetos da câmara mortuária. Foto: The Griffith Institute, Oxford/Dynamichrome

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s