logo-ge

Tenho facilidade para as exatas, mas me interesso por humanas. E agora?

Orientador profissional esclarece

Vários são os fatores que podem se relacionar com o grau de realização profissional de uma pessoa: remuneração, reconhecimento das qualidades diante dos colegas, reconhecimento social por realizar algo produtivo para a sociedade, valorização e expectativas familiares, envolvimento com o desenvolvimento de novos conhecimentos ou com a resolução de soluções práticas no cotidiano, entre outros. Nesse sentido é necessária uma profunda reflexão sobre os valores pessoais que norteiam suas escolhas. A ponderação dos ganhos e perdas e dos riscos que possa correr depende, sobretudo, desta análise.

Elementos como qualidade da formação, empenho nos estudos, realização de bons estágios, atenção às melhores oportunidades e continuidade da formação depois da graduação contribuem muito para o alcance de quaisquer objetivos que você venha a traçar profissionalmente. No entanto há determinações próprias à dinâmica do trabalho na economia capitalista que podem facilitar ou impor obstáculos à consecução dos mesmos, como maior ou menor investimento público em determinados setores, representações sociais das profissões, impulsos tecnológicos ou de novos conhecimentos em determinadas áreas, movimento geral da economia.

Procure pesquisar seus interesses, aqueles ligados à sua história de vida e aos assuntos com que mais gosta de se envolver. Adicione a este processo uma vasta e minuciosa pesquisa sobre as profissões. Classificações em exatas, humanas e biológicas podem ajudar pouco nessa hora. Observe que há grandes diferenças entre Relações Internacionais, Administração, Psicologia ou Serviço Social, por exemplo, podendo estar tais profissões enquadradas nas ciências humanas. Considere também as indicações de âmbito sociológico e econômico apontadas acima (dinâmica de mercado e campo, representações das profissões).

A análise destas variáveis é importante para que sua decisão seja de enfrentamento mais produtivo do problema ou de tomada de outra de forma consciente, sem que reste a impressão de que a mudança de curso tenha ocorrido por algum tipo de “fracasso” ou por falta de compromisso.

Você investiu recursos pessoais e financeiros, atendeu/estabeleceu expectativas familiares. Um elemento que conta favoravelmente em seu caso é a preparação para o vestibular, o que lhe dá maior liberdade de escolha, dado ter conseguido ingressar em uma das carreiras mais concorridas de um difícil processo de seleção na melhor universidade da América Latina.

Toda escolha real envolve ter que lidar com conflitos, riscos e perdas. Comece identificando estes aspectos e avaliando suas possibilidades pessoais e materiais para enfrentar os riscos e as perdas decorrentes da mudança de curso.

Por fim, munida do maior número de elementos, realize sua escolha enfrentando com coragem sua nova decisão. É uma decisão absolutamente pessoal, que depende de seus valores e expectativas.

 

Leia mais:
 – Como escolher o curso que melhor se encaixa em seu perfil?
– O perfil de um estudante da área de Ciências Exatas e Informática
– O perfil de um estudante da área de Ciências Sociais e Humanas

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s